quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Pernambuco: Sem Teto encerram protestos.



A manhã desta quarta-feira em Pernambuco foi marcada por duas manifestações do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST/PE). Filiado à União Nacional Por Moradia Popular (UNMP/PE), o grupo interditou duas importantes vias nas cidades de Recife e Caruaru para cobrar o lançamento imediato do programa Minha Casa Minha Vida 3 (MCMV 3) e a regularização das obras já em construção, que sofrendo grande atraso.
No Recife, às 9h, queimando objetos, cerca de 400 pessoas fecharam a Avenida Agamenon Magalhães próximo à Rua Odorico Mendes, no bairro do Derby, sentido Boa Viagem. Os motoristas foram orientados pela Companhia de Trânsito e Transportes Urbano (CTTU) a evitar a Agamenon e seguir pela Estrada de Belém ou Avenida Cruz Cabugá. Polícia Militar e Corpo de Bombeiros foram acionados e a manifestação foi encerrada por volta das 10h.
Em Caruaru, por volta das 8h cerca de 300 pessoas fecharam a BR-232, nas imediações da Faculdade Maurício de Nassau, altura do quilômetro 127. De acordo com a Polícia Rodiviária Federal (PRF), o ato foi encerrado às 9h30.
Os protestos acontecem simultaneamente em São Paulo, Maranhão, Piauí e Rio de Janeiro. Em Pernambuco, o movimento reúne 17 mil famílias. Esta tarde, integrantes do movimento se reunirão com o secretário da Habitação Marcos Batista, na sede da secretaria. O objetivo é pleitear a fixação de uma data para o pagamento do auxílio moradia.
O Reverendo Marco Cosmo, um dos líderes do movimento, detalhou as insatisfações dos sem teto: "Há atraso de recursos para as obras de Paulista e Caruaru. Morosidade nas análises dos processos em Olinda, Recife e Jaboatão dos Guararapes.Queremos que a presidente Dilma marque uma audiência com os movimentos para que se posicione. Ela prometeu lançar o novo MCMV em agosto, depois em setembro. Enquanto isso, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, fez uma redução drástica dos R$ 20 bilhões para o programa. Primeiro tirou R$ 7 bi. Depois, dos R$ 13 bo que restaram, tirou mais R$ 4,5 bi. Sobraram apenas R$ 8,5 bilhões para construir as três milhões de moradias prometidas em campanha", cobrou.
Os atos também lembram o Dia Mundial do Habitat, comemorado em cinco de outubro em todo o Brasil. Nesta data, integrantes do MTST ocuparam o prédio do Ministério da Fazenda, no Bairro do Recife, em protesto contra os cortes orçamentários em programas e projetos sociais, direcionados à população de baixa renda, como o programa Minha Casa Minha Vida.Na ocasião, os manifestantes também fecharam a Avenida Alfredo Lisboa.

Fonte: Diário de Pernambuco