sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Pernambuco: Corpo de recém-nascida que morreu após coma é exumado.


Foi exumado na manhã desta sexta-feira (2) o corpo da recém-nascida que morreu após susposto erro médido. O bebê teve cólicas e foi atendido no dia 13 de setembro na Unidade Mista de São José, em Bezerros, no Agreste pernambucano, mas passou mal após ingerir um remédio recomendado pelo médico. Ela entrou em coma e morreu no Hospital Jesus Nazareno, em Caruaru, no dia 17 de setembro. O delegado pediu uma exumação alegando que para o inquérito era necessária a perícia material.
De acordo com o delegado Humberto Pimentel, responsável pelas investigações, o resultado da perícia sai no prazo de 20 a 30 dias. "Enquanto não é divulgado, irei intimar os médicos, enfermeiros e profissionais envolvidos no caso", explica. Após sair o resultado, a documentação será enviada ao Conselho Regional de Medicina (Cremepe). "Como são médicos, só quem pode dizer se houve erro ou não na conduta médica é o Cremepe", diz o delegado.

Pedido de exumação
O delegado detalhou que o procedimento é necessário para que seja feita uma perícia nas vísceras e na corrente sanguínea da criança. "O primeiro parecer, de intoxicação medicamentosa, foi feito no hospital. Para o inquérito, tem que ser um médico pericial".
Ainda segundo o delegado, o objetivo da perícia é identificar qual foi a causa da morte e o material encontrado no corpo da criança. "Precisamos saber qual foi a substância aplicada, qual a quantidade, e até mesmo se outra substância foi aplicada. Assim, vamos saber se foi negligência, se foi erro médico".
A assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Saúde (SES) explicou que o hospital só envia um corpo ao Instituto de Medicina Legal (IML) quando a causa da morte é desconhecida.

Fonte: G1