quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Simular trote telefônico, pode ser caracterizado crime.

 Imagem ilustrativa de uma central telefônica

 
Por Thiago Ferraz


O Prefeito de Petrolândia enviou “NOTA DE ESCLARECIMENTO” a imprensa, principalmente aos blogs da cidade, falando da reunião que aconteceu na sede da ARPE, com a ANEEL, CELPE e AMUPE, referente a iluminação pública, porém em suas palavras o mesmo afirma que simulou uma solicitação, ligando para o 0800 da CELPE onde a atendente disse que esse serviço seria de competência das prefeituras e o mesmo depois se identificou, constrangendo a atendente que não havia recebido tal informação dos seus superiores.

Em seu esclarecimento, o Prefeito de Petrolândia usou a palavra “simulei”, porém ao meu entender ele realizou um “TROTE”. Segundo o dicionário Aurélio, trote é o ato de “troça, indiscrição, etc., anônimas, em geral feita por telefone”, e segundo o site www.dicionárioinformal.com.br, “trote é brincadeira telefônica onde quem efetua ligação engana o atendente (às vezes de mal gosto, quando efetua a ligação para uma central de emergência policial ou médica)”.

O Artigo 266 do Código Penal diz o seguinte:
“Art. 266 – Interromper ou perturbar serviço telegráfico, radiotelegráfico ou telefônico, impedir ou dificultar-lhe o restabelecimento:
Pena - Detenção, de um a três anos, e multa.
Parágrafo único - Aplicam-se as penas em dobro, se o crime é cometido por ocasião de calamidade pública.
§ 1º - Incorre na mesma pena quem interrompe serviço telemático ou de informação de utilidade pública, ou impede ou dificulta-lhe o restabelecimento. (Incluído pela Lei nº 12.737, de 2012) Vigência
§ 2º - Aplicam-se as penas em dobro se o crime e cometido por ocasião de calamidade pública. (Incluído pela Lei nº 12.737, de 2012) Vigência"

O Prefeito de Petrolândia ocupou uma atendente da CELPE, "SIMULANDO" uma situação, porém outros cidadãos poderiam está precisando do atendimento da mesma!

Venho aqui chamar a atenção dos “Call Centers” referente a essa situação desconfortável sofrida por um deles que trabalha como atendente telefônico da CELPE.

Acham correto o trabalho de vocês ser testado de uma forma ridícula e na brincadeira?

Nenhum comentário:

Postar um comentário