sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Centrais sindicais promovem hoje Dia Nacional de Luta por Empregos e Direitos




A classe trabalhadora mais uma vez está sendo punida. No final de dezembro passado, o governo editou duas medidas provisórias, a 664 e 665, promovendo alterações no Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e na Previdência. Para a CUT CTB, UGT, Força Sindical e Nova Central, a decisão foi unilateral, arbitrária e representa perdas de direitos. Por isso, hoje, em todo o Brasil, será realizado um Dia Nacional de Lutas por Empregos e Direitos. Em Pernambuco, será realizado um ato público, a partir das 9h, em frente à Superintendência Regional do Trabalho (SRT), na avenida Governador Agamenon Magalhães, no bairro do Espinheiro. A direção do Sindsep-PE estará presente nessa manifestação e convida todos os servidores, seus familiares e amigos para participarem.

Em frente à SRTE será montada uma tenda. No local haverá também carro de som e panfletagem. “Não podemos pagar mais essa conta. Se é para fazer cortes, vejamos onde existem excessos. Não podemos retirar direitos, muito menos punir a classe trabalhadora”, dispara a coordenadora geral do sindicato, Graça Oliveira. Para as centrais sindicais existem outras formas de promover o equilíbrio fiscal, entre elas, instituir imposto sobre grandes fortunas; taxar remessas de lucros e dividendos ao exterior, o que também contribuirá para a redução do déficit externo em conta corrente; revisar as desonerações; e reduzir os juros que originam o déficit nominal.

Nesse Dia Nacional de Lutas por Empregos e Direitos, as centrais sindicais protestarão, inclusive, contra a campanha negativa que a mídia sobre a Petrobras. “Se é verdade que a empresa pública foi alvo de um for-te esquema de corrupção, que se punam os corruptos, não a estatal. Ela deve permanecer como patrimônio dos brasileiros porque investe em políticas sociais. É preciso entender que existem muitos interesses nesse jogo, principalmente porque a petrolífera administrará as riquezas do pré-sal”, comenta Graça Oliveira.

PAUTA DE HOJE
As centrais sindicais reivindicam a revogação e retirada das Medidas Provisórias 664 e 665 porque atacam e reduzem direitos referentes ao seguro-desemprego, abono salarial (PIS-PASEP), pensões, seguro-defeso, auxílio-reclusão, auxílio doença e ainda estabelece a terceirização da perícia médica para o âmbito das empresas privadas, sob o pretexto de “corrigir distorções e fraudes” no acesso a esses benefícios. As entidades sociais defendem que as irregularidades existentes no acesso aos benefícios sociais devem ser apuradas e combatidas com o aperfeiçoamento da gestão dos referidos programas e não com a retirada de direitos.


A LUTA CONTINUA
Em fevereiro tem mais uma marcha da classe trabalhadora
A CUT e demais centrais sindicais convocam todos os representantes dos movimentos sociais para participarem ativamente da 9° Marcha da Classe Trabalhadora a Brasília, prevista para acontecer em 26 de fevereiro. A marcha também terá como objetivo a revogação e retirada das Medidas Provisórias 664 e 665.

PONTO DE VISTA
As centrais sindicais defendem que a continuidade e o aprofundamento das mudanças que promovem a justiça social passem pela redução da renda financeira dos setores do topo da pirâmide via reforma tributária de caráter progressivo, ao invés de pequenos ajustes.

Também reivindicam uma solução imediata para a situação dos trabalhadores das empreiteiras contratadas pela Petrobrás e defendem o combate à corrupção com todos os desvios de recursos da empresa sendo apurados e os criminosos julgados e punidos, em conformidade com a lei.

Fonte: Sindicato do Servidores públicos Federais do Estado de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário