quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Em PE, 151 médicos plantonistas são nomeados para hospitais estaduais


A Secretaria de Saúde de Pernambuco publicou no Diário Oficial, nesta quarta-feira (20), a nomeação de 151 médicos plantonistas para atuar em 17 hospitais da rede estadual, sendo 11 na Região metropolitana do Recife e seis no interior. A rede estadual precisaria ainda de cerca de 100 médicos para suprir a necessidade atual, de acordo com a própria Secretaria. Um dos principais gargalos é a especialidade de neurocirurgia, que não tem mais banco de reserva para o interior.
Os médicos são comunicados por telegrama a partir desta quarta e, até 1º de outubro, todos devem estar trabalhando. “A contratação de recursos humanos é sempre dinâmica e temos saídas de pessoas, por aposentadoria, exoneração. Esses médicos vão entrar no local daqueles que saíram”, detalha a secretária de Saúde, Ana Maria Albuquerque.

Nesta nomeação, o hospital que vai receber mais profissionais é o Barão de Lucena, no Recife, que vai contar com mais 42 médicos plantonistas. O Hospital da Restauração vai receber 28, enquanto o Getúlio Vargas vai contar com mais 19, o Otávio de Freitas e o Agamenon Magalhães com 16 cada. Ainda estão na lista o Correia Picanço (3 médicos), Ulysses Pernambucano (1), Hemope (9), Jaboatão-Prazeres (2), Alcides Codeceira, em Igarassu (1); Vicente Gomes de Matos, em Barreiros (2); Sanatório Padre Antônio Manuel, em Paulista (1); Belarmino Correia, em Goiana (1); Dom Moura, em Garanhuns (1); Ruy de Barros Correia, em Arcoverde (5), Inácio de Sá, em Salgueiro (2); Professor Agamenon Magalhães, em Serra Talhada (2).
 
A Lei de Responsabilidade Fiscal e o fato de 2014 ser ano eleitoral são pontos apontados pela Secretaria da Saúde como fatores que dificultam as contratações. “Não podemos chamar mais médicos neste ano devido ao comprometimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, em que não podemos criar novas despesas, apenas substituir. Este ano a gente não pode criar nenhum quadro novo, porque é um ano eleitoral. No Hemope, por exemplo, a gente precisa criar cargos para lotar mais pessoas, mas isso só se cria através de lei. Essa lei não pode ser publicada neste período”, detalha.
Com o banco de reserva atual do concurso de 2013 da Secretaria de Saúde e do Hemope, seria possível suprir o déficit de 58 médicos. Entretanto, há especialidades e localidades onde não há mais cadastro de reserva e a Secretaria estuda formas de resolver a questão, como contratações temporárias. Além dos 151 médicos chamados, foram chamados 538 profissionais do último concurso da Secretaria e do Hemope.
Uma das cidades em que o gargalo é maior, com ausência de banco de reserva em diversas especialidades, é Caruaru, onde seriam necessários 14 profissionais. “Não temos mais banco de reserva de clínico geral, intensivista adulto em Garanhuns. Em Caruaru, falta chamar obstetra, traumato ortopedista, intensivista pediátrico, neurocirurgião, cirurgião geral. Nomeamos todo o banco que tínhamos nessas especialidades para essas cidades”, detalha a secretária-executiva de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde, Cinthia Alves.

As especialidades chamadas nessa nomeação foram: cliníca geral (34), pediatria (21), intensivista adulto (11); cirurgia geral (10), neonatologia (10), obstetrícia (10), traumato-ortopedia (9), cirurgia vascular (9), intensivista pediátrico (8), pneumatologia (4), infecotlogia (4), anatomopatologia (4), otorrinolaringologia (4), hematologia (4), neurocirurgia (3), psiquiatria (3), pneumologia (2), cardiologia (2) e oncologia (1). 
 
Novas nomeações podem acontecer, mas ainda sem data.

Fonte: G1