sábado, 23 de agosto de 2014

Autorizada obra para duplicação das BRs 101 e 116 Norte


As BRs 101 e 116 norte serão duplicadas nos trechos que ligam Feira de Santana aos estados de Sergipe e Pernambuco compreendendo 205 quilômetros de extensão na primeira etapa. O anúncio foi feito nesta sexta-feira, 22, durante assinatura de ordem de serviço pelo governador Jaques Wagner e pelo ministro dos tranpsortes Paulo Sérgio Passos. O valor total das obras últrapassam R$ 1,1 bilhões recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) com estimativa de conclusão em 2 anos.
"Esta obra é bastante aguardada pois irá desafogar o tráfego que hoje é uma reclamação de todos os motoristas. Dando maior agilidade e segurança para os que transitam por estas rodovias", afirmou Jaques Wagner.
Na BR 101 serão duplicados 165 km que ligam a 324 passando por Feira de Santana até a divisa com o estado de Sergipe. A rodovia é uma das mais importantes do país e é considerada uma via de integração que atravessa diversas cidades importantes no estado. As obras de duplicação contemplam a construção de uma nova pista paralela a existente com duas faixas de rolamento e acostamentos, restauração da pista antiga e adequação de todas as travessias urbanas com construção de dispositivos de segurança como passarelas e acessos em desníveis.
Já na BR 116 Norte as obras foram divididas em seis lotes, sendo o primeiro que contempla o lado oeste do Anel de Contorno em Feira de Santana até a cidade de Teofilândia.
"Com isto estaremos ampliando a capacidade de segurança da rodovia, onde passam por dia cerca de 10 mil veículos. Sem falar da comodidade que estaremos oferecendo para os motoristas e pedestres já que também estaremos instalando todos os dispositivos de segurança necessários para as travessias. Sem falar que poderemos sair da Bahia até o estado do Rio Grande do Norte em uma rodovia totalmente duplicada o que nos dará maior conforto na viagem", frisou o ministro Paulo Sérgio Passos, acrescentando que só em obras de duplicação na Bahia serão gastos mais de R$ 2 bilhões.
A Tarde percorreu um dos trechos que será duplicado, o anel de contorno em Feira de Santana e encontrou várias dificuldades de trafegabilidade como pista estreita e esburacada, falta de sinalização e iluminação, acostamento em situação precária ou até inexistente, animais e pedestres disputando a rodovia com os veículos. Sem falar que o tráfego de veículos pesados é uma constante no local, o que provoca inúmeros congestionamentos.
O anúncio das obras de duplicação agradou os motoristas. Para o caminhoeiro goiano Márcio Nunes de Souza atualmente trafegar pela BR 116 Norte é algo insuportável pois não há sinalização, acostamento com desnível e inúmeros congestionamentos.
"A duplicação vai melhorar e muito a nossa viagem, sem falar nos acidentes que diminuirão consideravelmente. Somos obrigados muitas vezes parar em postos para evitar assaltos e acidentes. A rodovia não consegue suportar a quantidade de veículos que passam por ela atualmente",disse.
Já o taxista Anadisôr Souza Júnior disse que, devido ao grande fluxo de carretas na rodovia, o trânsito fica lento e aumenta os riscos de acidentes. "Acredito que a duplicação vai dar maior segurança para os motoristas pois teremos maior espaço e os veículos pesados terão suas faixas exclusivas o que acabará com estes congestionamentos", frisou.
A falta de acostamento e de maior agilidade no tráfego são reclamações do caminhoneiro Teônio Lima. Ele diz que atualmente para percorrer os 112 km que ligam Feira de Santana até Conceição do Coité ele gasta quase 3 horas. "O congestionamento é enorme. Com a duplicação isto acaba e mesmo que tenhamos que pagar pedágio será muito melhor pois o tempo da viagem será reduzido", destacou.

Fonte: A Tarde