segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Ação policial da 4ª CIPM de Petrolândia: Moto furtada recuperada, 20 pedras da crack apreendidas, e dois elementos presos por furto e tráfico.


Foi às 23h30mim de sexta-feira passada (22/08/14), que Policiais Militares da 4ª CIPM de Petrolândia, “os águias” da ROCAM e GT 411, quando se encontravam em rondas pela cidade, foram solicitados por uma vítima que teve sua motocicleta Honda CG-150, cor prata, placa KJI-1756, furtada da frente do “Bar do Cariri” na Av. Djalma Gomes Wanderley. A vítima tinha emprestado a sua motocicleta a uma pessoa, a qual disse que a moto foi furtada em um momento de distração.
Após diligências, os policiais detiveram “Rogério Freire da Silva”, 26 anos, acusado do furto da motocicleta, e “Alef Lopes Pajeú”, 19 anos, acusado de tráfico de entorpecente (crack).
O “Rogério” disse aos policiais que tinha entregado a motocicleta à pessoa de “Alef”, na residência do mesmo, e os policiais se deslocaram até o endereço, e um dos soldados ao chegar por trás na residência avistou um “balde” que estava emborcado e tinha um furo no “fundo”, e que ao levantar o “balde” avistou uma sacola plástica contendo 20 (vinte) “big-big” (pedras de crack envoltas em papel laminado e plástico).
Dentro da casa do elemento, próximo a uma cama, foram encontrados R$ 422,00 (quatrocentos e vinte e dois reais) em espécie. Também encontraram um caderno grande com várias anotações de valores a receber, e tinha uma lista com nome de pessoas, os quais serão investigados pela Polícia Militar e Civil.


Com o apoio da Equipe “Malhas da Lei”, a motocicleta furtada foi encontrada próxima a um posto de combustível, na saída da cidade em sentido ao Bairro Nova Esperança.
Foi registrado um Boletim de Ocorrência que foi entregue na Delegacia de Polícia Civil de Petrolândia juntamente com o material apreendido, e os dois elementos detidos foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil de Plantão na cidade de Floresta, Pernambuco, onde foram autuados em flagrante delito, e se encontram presos a disposição da justiça.

Por Jair Ferraz