sábado, 16 de agosto de 2014

1ª CIPOMA da PMPE faz apreensão de armas que eram utilizadas para praticar crime ambiental no Sertão de Pernambuco.



Policiais Militares da 1ª CIPOMA (Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente) da PMPE, na cidade de Igarassu, zona da mata norte do estado de Pernambuco, realizaram durante todo dia de hoje, sábado (16/08), uma Operação de Combate ao Crime Ambiental, que se desenvolveu nas zonas rurais dos municípios de Itaíba e Inajá, sertão do estado de Pernambuco.

A Operação foi comandada pelo tenente Erandir e composta pelos policiais militares 1º Sgt Ximenes, 1º Sgt Diogo, Cb Ivanildo, Cb Barreto, e o Sd. José Carlos. Um total de 06 (seis) policiais em duas viaturas.

Nas incursões dentro da caatinga, os policiais conseguiram descobrir o acampamento onde os caçadores tinham o ponto de apoio, e no local foram encontradas 11 (onze) espingardas, sendo 9 (nove) do tipo “soca-soca”, e duas espingardas de cartuchos de calibre não informado. Entre elas existia uma espingarda de fabricação caseira de grosso calibre, envolta por uma borracha de “câmara de ar”, procedimento usado possivelmente para abafar o estampido no disparo da arma. Foram apreendidas também duas armadilhas do tipo “arataca” utilizadas para a captura de animais silvestres.

Durante as diligências, foram abordadas duas pessoas, e uma delas portava um revolver calibre 38, que estava com o registro vencido. O mesmo foi conduzido a Delegacia de Policia Civil de Plantão na cidade de Petrolândia, onde o Delegado Dr. Roberto Fonseca, titular que estava de plantão, lavrou o auto de prisão em flagrante delito e recolheu o revolver. Tivemos a informação de que imputado por porte ilegal de arma, pagará a fiança e responderá em liberdade.

Segundo informações do Sgt PM Diogo, este tipo de Operação Policial Militar acontecerá rotineiramente, por todas às micros-regiões (Itaparica, Pajeú, Moxotó, Sertão, Agreste e São Francisco) do estado de Pernambuco, com o objetivo em combater o crime ambiental.

No momento a Equipe Policial do CIPOMA está fazendo um reconhecimento da área, e um mapeamento demarcando os pontos mais críticos, onde há maior incidência de crime ambiental.

Haverá uma intensificação no trabalho policial não só contra a caça, mais também para evitar o desmatamento da vegetação nativa em cada micro-região. Em alguns casos, o corte da vegetação nativa objetiva a fabricação de carvão (carvão vegetal), e madeira utilizada em vários tipos de fornos à lenha.

Por Jair Ferraz
Informações 1ª CIPOMA.