sexta-feira, 18 de julho de 2014

“O João Ubaldo cronista tinha uma independência intelectual incomum no Brasil”, diz especialista


O escritor João Ubaldo Ribeiro é o responsável por alguns dos maiores romances da literatura brasileira, como Sargento Getúlio e Viva o Povo Brasileiro, ambos vencedores do prêmio Jabuti, concedido pela Câmara Brasileira do Livro, em 1972 e 1984, respectivamente. Contudo, sua presença marcante e semanal em jornais, como O Globo e O Estado de S. Paulo, fez com que ele se tornasse para alguns leitores mais conhecido como um exímio cronista do que como romancista. É o que aponta o professor de Literatura Brasileira João Luís Ceccantini, da Universidade Estadual Paulista (Unesp).
“Muitos leitores nem sequer conhecem Ubaldo como romancista. Ele era um excelente cronista e transformava um ponto miúdo do cotidiano em um texto amplo, inteligente e repleto de ironia. O humor que ele fazia era sofisticado. É preciso ser muito bom com a escrita para ser irônico com qualidade”, diz Ceccantini.
O pesquisador relembra que os primeiros textos de Ubaldo no formato costumavam tratar de questões universais, como a infância, o amor, a família e o futebol. Por causa da fácil identificação, tais temas ajudaram o escritor em sua carreira internacional e suas crônicas foram traduzidas para diversas línguas.
Poliglota, Ubaldo colaborou também com jornais e publicações fora do Brasil, como os alemães Frankfurter Rundschau e Diet Zeit, o britânico The Times Literary Supplement, e os portugueses O Jornal e Jornal de Letras.

Da redação do Blog do Jair Ferraz

Nenhum comentário:

Postar um comentário