quinta-feira, 24 de julho de 2014

Armando Monteiro protocola ação no MPE sobre denúncia de propina


O departamento jurídico do candidato a governador pelo PTB, Armando Monteiro Neto, protocolou na tarde desta quarta-feira, 23, uma representação junto ao Ministério Público Eleitoral para esclarecer em quais circunstâncias se deram a suposta tentativa de propina oferecida ao deputado federal João Augusto Maia (Pros/PE) para apoiar o candidato a governador Paulo Câmara (PSB), apoiado pelo presidenciável Eduardo Campos (PSB) nas eleições em outubro.
"Protocolamos a representação com o procurador regional eleitoral João Bosco Fontes", afirmou o advogado Walber Agra, contratado por Armando Monteiro Neto. Segundo ele, este não é o primeiro fato de "cooptação" na campanha de Paulo Câmara.
"O senador não tem interesse em judicializar a campanha. Para Armando, a intenção é investigar o caso a fundo", explicou. "A ideia é que seja investigado um fato de tamanha gravidade. Ao MPE cabe averiguar se o fato existiu ou não", disse Agra.

Aliado de Dilma promete ir ao MPE contra o PSB em PEO senador e candidato ao governo de Pernambuco pelo PTB, Armando Monteiro, afirmou, nesta quarta-feira (23), que vai recorrer ao Ministério Público Eleitoral (MPE) para aprofundar as investigações sobre a denúncia feita pelo deputado federal José Augusto Maia (PROS) de que teria recebido e recusado propina de R$ 2,5 milhões com o objetivo de apoiar o postulante do PSB, Paulo Câmara, indicado pelo presidenciável Eduardo Campos, ex-governador do estado.
No total, a "vantagem financeira" para ter o PROS na coligação dos socialistas, a Frente Popular, seria de R$ 6 milhões. O MPE-PE informou que vai apurar o caso. No entanto, a Polícia Federal disse só investigará a suposta oferta de propina se houver pedido formal dos procuradores eleitorais ou da Justiça Eleitoral.
"É possível inferir a gravidade dos fatos que estão ali apontados. Por isso, nossa coligação vai propor uma medida, que seria absolutamente imprescindível, que é a de que o Ministério Público Eleitoral apure profundamente os fatos que estão ali apontados", disse Armando, durante evento em que foi instalado um conselho político da coligação Pernambuco Vai Mais Longe (PTB/PT/PDT/PTdoB/PRB/PSC). Apesar de o PTB nacional apoiar o senador e presidenciável pelo PSDB, Aécio Neves, o congressista apoia a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).
A denúncia de Maia foi feita ao jornal Folha de S. Paulo. "Já disse que foi uma proposta indecorosa, vergonhosa, impublicável e não republicana", disparou o parlamentar. Por meio de nota, a campanha de Paulo Câmara disse nega a acusação. "Esta não é a forma de fazer política da Frente Popular, que conta com o apoio de 21 partidos, sendo esta a maior coligação já constituída em torno de uma candidatura", diz o texto.
O PROS apoia a candidatura de Câmara e, como consequência da aliança, Maia, que apoia Armando, deixou a presidência da legenda em Pernambuco. Durante o evento do PTB, o senador disse que não entraria no mérito do julgamento sobre a veracidade dos fatos. "Mas existem elementos gravíssimos na denúncia de José Augusto Maia", declarou Armando.
Para criticar Paulo Câmara, o congressista prometeu fazer uma campanha limpa nesta eleição. "Não é só uma expressão da limpeza urbana, da questão estética ou daquilo que possa afetar o padrão de convivência da cidade. É também algo que vai além. Uma campanha limpa na acepção mais ampla do termo", acrescentou.
 
Da redação do Blog do Jair Ferraz

Nenhum comentário:

Postar um comentário