sábado, 19 de julho de 2014

Armando Monteiro exalta "posição firme e corajosa" de Marília Arraes


O candidato do PTB ao Governo do Estado, Armando Monteiro, se posicionou hoje diante do apoio da vereadora Marília Arraes (PSB) a sua candidatura. Antes de Marília tornar pública sua decisão política, externada em coletiva de imprensa minutos depois, o candidato fez questão de ressaltar a "posição firme e corajosa" da vereadora em se posicionar contra a Frente Popular. "Louvar não o apoio, louvar a coragem, a firmeza e a disposição de assumir de forma muito altiva uma posição como essa", destacou Armando Monteiro.
Durante entrevista a uma rádio local, o petebista também alfinetou o ex-governador Eduardo Campos ao dizer que não desqualifica o governo do qual participou, enquanto era aliado do PSB, diferente do que é feito por Eduardo em relação ao governo Dilma. Ainda de acordo com Armando Monteiro, o socialista "brada lá fora com veemência contra as raposas e contra as velhar figuras", mas isso não é refletido nas alianças feitas para a disputa pelo Executivo estadual. A Frente Popular foi definida como "um bloco disforme, sem identidade e sem coerência."Fica até dificil fazer discurso naquele palanque, você corre sempre o risco de falar mal de alguém", ressaltou.
A ação movida por um "cidadão comum" que pedia a impugnação de sua candidatura também foi alvo de declarações do petebista. De acordo com a denúncia, Armando estaria ligado a empresas em processo de liquidação judicial, algo que proíbe a participação nas eleições. Para o candidato trabalhista, a ação não foi movida de forma espontânea, mas sim por um "cidadão claramente instrumentalizado". Sem acusar ninguém diretamente, Armando afirmou que o fato se tratou de uma "operação desastrada, mal feita, mal orientada e mal conduzida".
Outro tema abordado pelo candidato petebista foi a propaganda eleitoral. Ele mostrou insatisfação com a propaganda nas ruas que, de acordo com ele, não respeita o pedestre e toma lugares de trânsito na calçadas. Apesar da insatisfação, Armando afirmou que não vai tirar as suas propagandas de forma unilateral por considerar que teria desvantagem na disputa eleitoral. Por meio de uma carta aberta direcionada a Paulo Câmara, Armando sugeriu a restrição do uso de cavaletes e bandeiras, além de carros de som em alguns horários do dia.
A Frente Popular considerou a proposta oportunista, considerando que o petebista tinha o interesse de manter Paulo Câmara, estreante em eleições, desconhecido da população. O prefeito do Recife, Geraldo Julio, afirmou inclusive que a proposta de Armando pretendia "esconder" que era aliado de Dilma.
Armando, por sua vez, rebateu a afirmação."Não tenho porque esconder de ninguém. Eu não faço política assim, com esse tipo de postura desleal e oportunista. Ficamos muito à vontade em Pernambuco para defender Dilma e Lula, eles fizeram muito por Pernambuco".

Da redação do Blog do Jair Ferraz

Nenhum comentário:

Postar um comentário