segunda-feira, 7 de julho de 2014

Armando: 'Câmara depende de padrinho político'


A campanha eleitoral começou quente em Pernambuco. No dia em que o ex-governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, participa de um encontro no estado para reforçar a campanha do seu correligionário Paulo Câmara, postulante ao governo estadual, o senador e candidato ao Executivo pernambucano pelo PTB, Armando Monteiro, endureceu o discurso contra o seu adversário. De acordo com o petebista, Câmara "não dispõe de um currículo político e, por isso, tem uma dependência do padrinho".
Depois de ser questionado se há uma data para que o ex-presidente Lula (PT) suba em seu palanque, Armando afirmou que a agenda do petista é complicada, pois a presença dele é "desejada em todos os estados do Brasil". "Costumamos dizer que Lula e Dilma não são nossos padrinhos, são nossos aliados. Não dependemos deles para andar. Nós temos o nosso currículo, a nossa história, as nossas trajetórias. Aprendemos a caminhar sozinhos", disse o petebista a uma rádio local.
Armando integra a coligação Pernambuco Vai Mais Longe (PTB/PDT/PT/PRB/PSC/PTdoB) e tem como vice o deputado federal pedetista Paulo Rubem. O também deputado João Paulo (PT), ex-prefeito do Recife, luta por uma vaga no Senado. O petebista terá 5 minutos e 14 segundos de tempo na propaganda eleitoral gratuita na TV e no rádio, com início marcado para dia 19 de agosto e término para o 2 de outubro.
A chapa de Câmara, a Frente Popular tem como vice o deputado federal Raul Henry (PMDB), e o ex-ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra Coelho (PSB) candidato ao Senado. Câmara terá 10 minutos e 37 segundos de guia eleitoral e faz parte da coligação Frente Popular é formada por 21 partidos, a maior da história de Pernambuco.
O debate entre dois principais candidatos ao governo de Pernambuco tende a esquentar ao decorrer das eleições. Em abril, durante a pré-campanha, Armando acusou Câmara de oferecer "bolsa eleição" para obter apoio de prefeitos do PTB - o de Gravatá (Agreste do Estado), Bruno Martiniano, e a de Arcoverde (Sertão), Madalena Britto. O ex-secretário rebateu dizendo que o apoio foi fruto do trabalho desenvolvido pelo PSB no Executivo pernambucano e que a gestão é formada por pessoas sérias.

Da redação do Blog do Jair Ferraz

Nenhum comentário:

Postar um comentário