segunda-feira, 16 de junho de 2014

Lagoa Grande, PE: PF apreende 3,2 kg de pasta base de cocaína.

Ednaldo José da Silva, 39 anos de idade, pintor, natural e residente na cidade de Afogados da Ingazeira, Sertão de Pernambuco, foi preso com pasta base de cocaína, 3 kg e 200 g da droga, estava no veículo Vectra MOI-3773 de Recife, PE.

O Delegado de Polícia Federal disse que a prisão se deu “após uma investigação realizada pela nossa Delegacia de repreensão a entorpecente, mais ou menos 20 dias a gente vinha investigando a participação deste suspeito do tráfico de drogas, principalmente com relação ao transporte da droga, ele tinha saído de Rondonópolis em Mato Grosso, com essa pasta base escondida em seu veículo, como esse carro tinha uma passagem obrigatória lá por Lagoa Grande, já que essa droga seria entregue no sertão pernambucano, nós nos dirigimos para lá, solicitamos o apoio imprescindível da 7ª CIPM juntamente com a ROCAM, fizemos uma barreira policial e quando avistamos esse carro nós o abordamos e ao fazer uma busca minuciosa no interior dele nós encontramos dentro do tanque de combustível 3 tabletes, que totalizou um peso bruto de 3,2 kg de pasta base de cocaína.”

Como se conseguiu chegar nesses tabletes, já tinha alguma informação de que aquele carro estaria trazendo drogas?
“Sim, o que acontece muitas vezes é que quando esses traficantes são presos na Polícia Federal, eles começam a dar detalhes sobre informações de outros traficantes, de pessoas que estão envolvidas com o tráfico de drogas, nesse caso especificamente foi de informações colhidas em outros inquéritos policiais através de prisões que a gente já tinha realizado, a gente começou a acompanhar a participação desse suspeito no carregamento dessa droga, e ai montamos uma barreira lá em Lagoa Grande, foi aonde a gente conseguiu fazer a prisão desse suspeito.”

Ao ser interrogado o que ele falou?
“É a mesma conversa de sempre, apesar dele não dar detalhes sobre quem foi que entregou essa droga lá no Mato Grosso, mais ele disse que a droga ia ser entregue no sertão pernambucano, e a intenção era transformar ela em pedra de crack através de laboratórios clandestinos. Só para você ter uma idéia, se esse 3,2 kg fossem transformados em crack daria para se fazer 10 kg, o que corresponde aproximadamente 40 mil pedras. Então foi essa quantidade enorme ai de pedras de crack que deixou de abastecer várias cidades do sertão pernambucano, principalmente Salgueiro, Orocó, Cabrobó e também a cidade de Arcoverde.” 

Ele assumiu ser o dono da droga ou mais uma “mula”?
“Mais uma “mula”, mais uma pessoa encarregada de fazer o transporte da droga. Ele alegou aquilo que todo mundo alega, quando é preso nessas circunstâncias, que estava passando por uma situação difícil, e viu ali uma oportunidade desse transporte para estar ganhando um dinheiro fácil, então geralmente eles tentam dar esse tipo de alegação e não justifica esse tipo de conduta criminosa.”

Entrevista concedida a Roberto de Carvalho, Plantão de Polícia da Rádio Jornal do Commercio, Pernambuco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário