CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Nota aos leitores e amigos do Blog do Jair Ferraz

A Última “Nutícia”…
Por: Gregório Ferraz Neto & Thiago Feijó Ferraz
João Pessoa – 03 de Maio de 2016


            30/04/2007: Dia 30 de Abril de 2007 meu pai iniciava de maneira discreta o seu pequeno blog, pioneiro na cidade de Petrolândia - PE. Sem grandes pretensões, publicando o cotidiano de Petrolândia e região, o blog do Jair Ferraz (www.petrolandiape.com) foi tomando forma, crescendo e adquirindo mais e mais leitores fiéis e, em pouco tempo, se tornara um dos mais importantes veículos de comunicação da região.

            Para o bom jornalista, a notícia vai até ele (Um periódico naturalmente): Com amor quase narcisista ao seu trabalho, o autodidata Jair Ferraz, aprofundou-se nos pormenores jornalísticos com o fim de garantir a informação para seus leitores. Buscando sempre aprender mais, construiu esse blog sozinho, sem nenhum conhecimento de Linguagens de Programação ou qualquer outra tecnologia de Informática, apenas com a sua vontade e determinação de transformar o Blog do Jair Ferraz em uma ferramenta de Utilidade Pública, passando a ser procurado por todos e, também, enfrentando suas primeiras adversidades por mostrar a verdade da política local.

            O Gato Preto: Mesmo sem nos deixar claro quais seus desígnios religiosos, Sr. Jair Ferraz era um homem de superstições. Meros detalhes viravam avisos, pequenas mudanças poderiam atrair problemas ou significar algo bom por vir, etc. E foi assim que ele identificou o “Padrão” que, posteriormente, construíra sua alcunha. Inconscientemente, ele dava o “Pulo do Gato” para criação de algo muito importante: Sua Máscara.

            A Máscara:
           
“Por trás desta máscara há mais do que carne e sangue; por trás desta máscara há uma ideia, e as ideias são à prova de bala.”
(V. For Vendetta – Alan Moore & David Lloyd – 1982 – Reino Unido – Editora Vertigo).

            Tal qual o texto acima deixa claro, ao criar “O Gato Preto” ele também estava criando sua Máscara. Um ser de vida própria, capaz de assumir as formas mais distintas e/ou dar continuidade ao seu trabalho. Isso o transforma em um símbolo capaz de proezas incríveis, um herói propriamente dito, um imortal. Não se pode dizer que o Gato Preto voltará a ativa, mas que ele continua vivo, continua. De dentro de cada um de nós ele observa o mundo e fica inquieto diante da injustiça, da corrupção, do aparelhamento dos serviços públicos, da falta de vontade política e da incompetência. De dentro de cada um de nós ele afia suas unhas, esperando pelo dia que um Jair Ferraz o permita sair e urrar como um Leão ou mesmo como uma “raposa”. O povo precisa, o povo precisa.

            O Trabalho da Alma Não Vale Dinheiro: Homem de coração grande (literalmente e alegoricamente), ele sempre esteve pronto para ajudar a tudo e a todos, trabalhando de graça para muitos, realizando divulgações em seu blog sem cobrar um centavo por isso, ajudou pessoas, abria mão de direitos para evitar uma discórdia. Muitos podem chamá-lo de besta ou de ingênuo e até mesmo não acreditar nas palavras dele, quando ele afirmava que não cobrava nada por uma publicação, as vezes sendo taxado de “comprado” por alguns políticos da região devido ao sua imparcialidade. Eu digo apenas: Meu Pai Soube Viver!!

Meu pai nos deixou no dia 22/04/2016 depois de sofrer um AVC no dia 13/04.
Ficou internado na UTI do Hospital Memorial São José por nove dias, onde mesmo entubado, ficou preocupado com a continuidade das publicações no blog, e também na continuidade dos grupos de whatsapp que ele criou para debates de interesses da população Petrolandense.
Nosso Rei da Noticia deixará muita saudade.

            Sem mais o que dizer, deixo apenas a letra de uma canção do Gonzaguinha.


Caminhos do Coração
Gonzaguinha

Há muito tempo que eu saí de casa
Há muito tempo que eu caí na estrada
Há muito tempo que eu estou na vida
Foi assim que eu quis, e assim eu sou feliz

Principalmente por poder voltar
A todos os lugares onde já cheguei
Pois lá deixei um prato de comida
Um abraço amigo, um canto prá dormir e sonhar

E aprendi que se depende sempre
De tanta, muita, diferente gente
Toda pessoa sempre é as marcas
Das lições diárias de outras tantas pessoas

E é tão bonito quando a gente entende
Que a gente é tanta gente onde quer que a gente vá
E é tão bonito quando a gente sente
Que nunca está sozinho por mais que pense estar

É tão bonito quando a gente pisa firme
Nessas linhas que estão nas palmas de nossas mãos
É tão bonito quando a gente vai à vida
Nos caminhos onde bate, bem mais forte o coração

E aprendi ...