CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Ex-prefeito é condenado por desviar R$ 187 mil do Ministério do Turismo

Via www.petrolandianoticias.com.br

O ex-prefeito de São João, Pedro Antônio Vilela Barbosa, foi condenado pela Justiça Federal por fazer parte de um esquema de desvio de R$ 2 milhões do Ministério do Turismo (MTur) em 2008. De acordo com a assessoria do Ministério Público Federal (MPF), os recursos foram recebidos por meio de convênio entre o MTur e a Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur). O ex-parlamentar teria desviado R$ 187 mil, conforme informou o MPF.

O G1 tentou, mas não conseguiu entrar em contato com o ex-prefeito.

Ainda segundo a assessoria do MPF, o esquema "envolveu vários municípios do interior de Pernambuco". Pedro Antônio Vilela foi acusado pelo Ministério Público de comprovar - enquanto era prefeito - "a realização das festas natalinas do município do Agreste em 2008, que nunca aconteceram". O ex-gestor já havia sido condenado a pagar R$ 280 mil por fazer "shows fantasmas" com dinheiro do Ministério do Turismo.

"A não realização dos shows previstos pelo convênio foi confirmada por perícia do Instituto de Criminalística de Pernambuco, que detectou a manipulação das fotos apresentadas pelo réu, e por autoridades da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. O valor do convênio foi de R$ 187 mil", conforme informou o MPF.
Esquema
De acordo com as apurações, o esquema envolvia empresários do ramo artístico e membros da Empetur, que firmavam contratos com empresas falsas para a utilização de verbas públicas recebidas para a realização de eventos que nunca aconteceram. "A prestação de contas acontecia por meio de documentação fraudulenta, a exemplo de fotos manipuladas e atestos falsos de gestores da região", ressalta o MPF.
Pedro Antônio Vilela Barbosa foi condenado a dois anos e quatro meses de reclusão, pela prática de crime de responsabilidade. Ele também deverá pagar R$ 187 mil para reparação dos danos causados aos cofres públicos. O ex-prefeito poderá recorrer da sentença.

Via: G1/Caruaru