CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Brasília: Milhares de servidores federais realizam marcha e vigília



Servidores Públicos Federais de diversos estados brasileiros se encontraram no dia de ontem em Brasília em mais uma mobilização da Campanha Salarial 2015. Mais de três mil trabalhadores se reuniram no Bloco C do Ministério do Planejamento, desde às 4h da manhã (foto). De lá saíram em marcha até o prédio onde fica localizado o gabinete do ministro Nelson Barbosa, onde permaneceram em protesto. Representantes do Governo sugeriram que os trabalhadores se reunissem com o o secretário de Relações de Trabalho no Serviço Público, Sérgio Mendonça. Proposta que foi rejeitada.

“Já sabemos qual é o posicinamento de Sérgio Mendonça e não temos mais como avançar com ele. Vamos continuar mobilizando o servidor para pressionar o Governo”, destacou o diretor da Condsef e CUT Nacional, Pedro Armengol. Depois da marcha, os trabalhadores seguiram para o Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, onde realizaram uma vigília, das 17h até as 22h.

As mobilizações tiveram como objetivo destravar a negociação com o Governo Federal. O governo continua intransigente quanto ao reajuste der 27,3% demandado pelos trabalhadores para 2016 e insiste no aumento de 21,3%, dividido em quatro anos, proposta rechaçada pelo funcionalismo. Durante a marcha, os servidores cobraram mais uma vez a efetividade nas negociações das pautas especificas, sem que estas estejam condicionadas ao aceite da proposta de reajuste parcelado; melhoraria nos reajustes dos benefícios e negociação efetiva em relação a política salarial permanente e data base.

A mobilização nacional tem conseguido se ampliar com a adesão de novas categorias. A hora de pressionar é essa. O prazo para o Executivo incluir a demanda dos servidores no orçamento 2016 acaba no dia 21 de agosto, quando o Governo terá que enviar a peça orçamentária para aprovação no Congresso Nacional.

O Sindsep-PE esteve com representantes no protesto. “Vamos continuar mobilizando a categoria no Estado e pressionando o Governo. Não temos como aceitar essa proposta”, destacou o diretor do Sindsep, Condsef e CUT-PE, Fernando Lima (foto).