CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

sábado, 22 de agosto de 2015

Recife: Assembléia Legislativa recebe homenagem da maçonaria




A passagem do Dia do Maçom, comemorado na última quinta (20), motivou homenagem da Grande Loja Maçônica de Pernambuco à Assembléia Legislativa, nesta sexta (21). A cerimônia foi realizada em reconhecimento ao fato de o patrono da Casa, o escritor e diplomata Joaquim Nabuco, ter sido integrante da maçonaria. A solenidade contou com a participação do Coral Vozes de Pernambuco, formado por servidores da Casa.

A data comemorativa rememora uma sessão histórica do Grande Oriente Brasileiro, ocorrida em 1822, no Rio de Janeiro. Na ocasião, o maçom Gonçalves Ledo discursou em favor da Independência do Brasil, proclamada no mês seguinte. “Nossa autonomia foi sagrada em loja maçônica, a partir de um compromisso firmado com D. Pedro I, durante sessão presidida por José Bonifácio. Exigiu-se a Independência ou o regresso para Portugal”, contou Marcos Cabral, da Grande Loja Maçônica de Pernambuco.

Em nome do presidente da Alepe, deputado Guilherme Uchoa (PDT), o deputado Ricardo Costa (PMDB), que também é maçom, recebeu a homenagem, materializada em placa entregue pelo grão-mestre da Grande Loja Maçônica de Pernambuco, Dimas José de Carvalho. Uma coroa de flores fixada no busto de Joaquim Nabuco, esculpido em frente ao Museu Palácio Joaquim Nabuco, à margem do Rio Capibaribe, complementou a reverência.

Ao presidir a solenidade, Ricardo Costa destacou que “os maçons são sustentados pelas divisas da liberdade, igualdade e fraternidade, por isso foram bravos defensores nos três maiores feitos da nossa história: a Independência do Brasil, a Abolição da Escravatura e a Proclamação da República”.

Durante o seu discurso de homenagem, Dimas Carvalho exaltou o papel do patrono da Assembléia na História: “Viemos homenagear o nosso irmão Joaquim Nabuco, um grande personagem de Pernambuco e do Brasil. Trata-se de um defensor do movimento abolicionista, que merece uma celebração à sua memória”. O grão-mestre também ressaltou que o momento está exigindo da maçonaria uma participação mais ativa na sociedade.

“Não vamos viver da importância que tivemos no passado. Estamos resgatando o protagonismo que já tivemos”, comprometeu-se.