CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

terça-feira, 28 de julho de 2015

Petrolândia: Transposição iniciará testes no Eixo Norte em agosto. Entrega é prevista para 2017



A obra da Transposição do Rio são Franscisco promete ter um ganho a partir de agosto. O ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, garantiu que entrarão em fase de testes as primeiras etapas do Eixo Norte do projeto, o que inclui a captação de águas do velho chico até o acúmulo no primeiro reservatório do curso da água. A "inauguração" representa 30 quilômetros de obras "entregues", mais o funcionamento de uma estação de bombeamento vertical, que leva a água a níveis em que o fluxo não consegue seguir apenas com a gravidade. A partir dos testes, o ministro destacou que agendará a vinda da presidente Dilma Rousseff para visitar o projeto.
As informações foram divulgadas nesta terça-feira (28), quando o ministro participou da posse do novo superintendente da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), o petista João Paulo, ex-prefeito do Recife.
O Eixo Norte tem obras menos aceleradas que o Eixo Leste. A diferença de início de testes dos dois eixos é de quase um ano. O Eixo Leste entrou em testes em outubro de 2014, à beira de eleições presidenciais. Foi avaliada a estação de bombeamento ver0tical, com visita da presidente e então candidata Dilma Rousseff. A obra, porém, não atende a ninguém em nenhum dos eixos.
A Transposição é prometida para início de 2017 com orçamento de R$ 8,2 bilhões. "Do total, mais de R$ 6,5 bilhões foram gastos, sendo R$ 1 bilhão liberado somente neste ano pela pasta. Não há obra parada, todas as construtoras que atuam no projeto estão em atividade, colaborando para o avanço mensal de 1% ou 2%", pontuou. De acordo com o ministro, a obra está 78% concluída.
O Programa de Integração do Rio São Francisco (PISF), como é oficialmente batizada a obra da Transposição, é composta por dois grandes canais que prometem garantir a segurança hídrica de 12 milhões de pessoas do semiárido nordestino. A obra é um projeto do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e já teve orçamento de R$ 4,5 bilhões, reajustado para R$ 6,7 bilhões até ser revisto novamente para os atuais R$ 8,2 bilhões. Quanto à entrega, a primeira previsão era de concluir 100% do projeto em 2010, adiado para 2012 e, posteriormente, para 2014. Na campanha presidencial do ano passado, a obra foi prometida para o fim deste ano (2015), mas no primeiro trimestre teve entrega replanejada para o início de 2017.

Fonte: Diário de Pernambuco