CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Alagoas? Redução do nº de homicídios, mas ainda é o estado onde mais se mata no país



Alagoas é o estado com a maior taxa de homicídios do país, de acordo com levantamento do G1. Houve 2.053 homicídios dolosos (quando há intenção de matar) em 2014, uma média de 61,8 mortes para cada 100 mil habitantes.
Embora ainda seja proporcionalmente o estado onde mais se mata desde 2006, conforme os dados do "Mapa da Violência", Alagoas vem reduzindo o índice de homicídios desde 2013.
O secretário de Defesa Social e Ressocialização (Sedres), Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, diz que isso se deve principalmente à atuação conjunta das polícias. Mas ele reconhece que a situação ainda está longe daquilo que o estado quer alcançar.
“Devemos mudar o nosso método de investigação nos crimes de homicídios, para apresentar uma solução mais eficaz na resolução dos crimes. Isso significa que iremos aportar mais homens nas investigações, para que as respostas venham ainda mais rápidas”, afirma Gaspar.
Muitos moradores da capital alagoana dizem viver com insegurança, como é o caso de Ana Maria dos Santos, que mora em Tabuleiro dos Martins.
"Eu moro na parte alta da cidade, e lá a criminalidade está tomando conta. Minha irmã mora no Jacintinho, e no local a situação é a mesma. A violência continua do mesmo jeito no estado, não existe segurança, isso é um absurdo", desabafa.
Maria da Silva, que vive no bairro da Serraria, também diz ter medo. Ela explica que a insegurança vem dos constantes assaltos pelos quais a família dela passou. "Já fui assaltada três vezes, minha filha, quatro vezes, e meu marido, uma vez. A situação é assustadora", diz.
A mulher atribui os problemas de segurança à falta de conclusão das investigações, à sobrecarga que o Poder Judiciário sofre e ao mal planejamento das políticas públicas em Alagoas. "Acredito que o efetivo policial em Maceió é muito pequeno, e não é capaz de atender a população", afirma.

Fonte: G1 - Alagoas