CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

terça-feira, 26 de maio de 2015

Com apenas 18 kg e à beira da morte, atriz anoréxica recebe ajuda de R$ 550 mil para tratamento






Depois de expor seu drama publicamente, mostrando ao mundo sua luta contra a anorexia, a atriz Rachael Farrokh conseguiu sensibilizar milhares e arrecadou cerca de R$ 550 mil para o tratamento da doença que a deixou com atuais 18 kg. As informações são do Daily Mail.
A página da internet que pediu recursos para Rachael ficou no ar por apenas 24 dias, até que a quantia fosse levantada. O casal esperava conseguir no máximo R$ 320 mil, e acabou atingindo quase o dobro do valor .
— Quero agradecer a todos vocês por tudo que têm feito por nós. Tem sido tudo tão impressionante. Agora eu tenho uma chance de sobreviver. O que vocês fizeram foi incrível. Por causa de vocês, consegui que uma médica me examinass.
— Ela me deu instruções sobre como me cuidar neste momento, e conseguiu um time de profissionais e medicamentos para serem trazidos aqui para mim, até que eu possa me locomover novamente e receber tratamento fora de casa. Isso tudo é graças a vocês.
A atriz acredita que seu tratamento vá levar algo em torno de “três a cinco anos”. Com o dinheiro arrecadado, foram contratados a médica, um enfermeiro, um terapeuta e alguns outros especialistas, que correm contra o tempo para salvar a vida de Rachae.
O tratamento da anorexia não é barato em nenhum lugar do mundo. Nos EUA, por exemplo, os custos podem variar de R$ 1.600 a R$ 6.400 por dia. E, mesmo com todo este aparato médico, apenas um entre cada três pacientes conseguem se recuperar definitivamente da doença.
A taxa de mortalidade de pessoas anoréxicas é de 20%, a maior entre todas as doenças mentais. Rachael comenta a gravidade do distúrbio.
— As pessoas acham que é só uma magreza normal, e que tudo que é preciso é comer alguma coisa e tudo melhora. Mas, na realidade, os anoréxicos sofrem tanto que a nossa ideia é conseguir desaparecer. Por isso, se um anoréxico é ignorado, é bem provável que ele consiga mesmo sumir de vez.
À beira da morte, Rachael decidiu pedir ajuda há pouco menos de um mês. Ela, que luta contra a anorexia nervosa já há mais de dez anos, explicou que sua doença chegou a um nível tão crítico que ela já não tem mais qualquer massa muscular, que mal consegue respirar, e que se mover sozinha se tornou algo impossível nos últimos mese.
Rachael revelou que seu marido, Ron Edmondson, precisou abandonar o emprego para se tornar seu cuidador em tempo integral, já que os hospitais locais se recusaram a tratá-la por causa de seu peso baixíssimo.
Ao abrir a página pedindo por recursos na internet, que agora arrecadou a quantia responsável por sua única chance de sobrevivência, Rachael deixou de lado qualquer tipo de constrangimento.
— Existe um único hospital nos EUA que pode me ajudar, e ainda assim minhas chances de sobreviver são muito pequenas. Mas, mesmo assim, eu preciso desta ajuda, e aceito qualquer tipo de doação. Estou preparada para melhorar.

Fonte da notícia e fotos: R7