CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Petrolândia: Mãe inconformada pede justiça para esclarecer a morte de seu filho.




Por Jair Ferraz:


D. Maria da Gloria da Silva, uma senhora de 61 de idade, que teve um casal de filhos, residente em Petrolândia, ha dois anos vem lutando dia e noite, para desvendar o mistério que cerca a morte de seu filho André Luiz, conhecido popularmente como “Kid Ander”, que tinha 37 anos quando morreu em 02/09/12, que residia e trabalhava na cidade de Belém do São Francisco, sertão do estado de Pernambuco.

André Luiz ou “Kid Ander” era um homem idôneo, pacato, e de moral ilibada no meio social em que vivia. Dono de uma voz que só mesmo DEUS para dar. Ele trabalhava em eventos sociais como apresentador, publicitário, montagem de palcos, propagandas em carros de sons, comícios e carreatas políticas. Era também animador em festas e shows.

Era um homem sem mácula, alegre e feliz como ninguém. Não há relatos da pessoa dele em meios escusos.

Física e mentalmente era um homem preparado, e que não apresentava problemas de saúde, sem histórias em hospitais e casas de saúde. Não ingeria remédios. O homem tinha saúde de “ferro”, e com muita energia desempenhava rotineiramente suas atividades de trabalho.

Repentina e inesperadamente, pegando todo mundo de surpresa, “kid Ander” morre no dia 02 de setembro de 2012, exatamente dois anos atrás.

Uma morte que naquela data foi declarada pelo médico como “causa indeterminada”, e até hoje cercada de mistérios, pois ele morreu no período da tarde, vomitando em seu leito.

Dona Glória, mãe André Luiz, não quer nada mais e nada menos do que saber em que circunstância morreu, e o que matou o seu filho.

Um ano depois, Dona Glória, mãe de Andre Luiz, percebendo que a morte do seu filho está cercada de mistérios, pediu a exumação do corpo, e de acordo com o laudo do médico legista, não revelou nenhuma violência, “o que não descarta a possibilidade de morte violenta, pois a atual perícia se deteve na pesquisa de lesões ósseas. O processo de decomposição do cadáver (em fase esquelética) inviabilizou a coleta de material para exames laboratoriais de toxicologia”, o que na opinião leiga deste blogueiro, se foi veneno, ele deve estar ainda entranhado nas vísceras e órgãos do corpo. Acreditamos que deve haver alguma forma cientifica com capacidade para detectar a presença de substância venenosa.

Diante de tal fato, das dúvidas, e da grande interrogação que existe, Dona Glória clama às autoridades civis e militares, (Delegado de Polícia Civil, Promotoria, Juiz de Direito), que “desenterrem” este caso, e dentro da legalidade esclareçam a causa e as circunstâncias dessa morte, que até hoje está cercada de mistérios.

Segundo informações repassadas ao Blog do Jair Ferraz, Dona Glória afirma que há fortes indícios de envenenamento, inclusive sendo violado o local onde seu filho foi encontrado morto, com a possível destruição de provas, como foi o caso do desaparecimento dos lençóis onde ele vomitou antes de morrer, dos pratos onde ele alimentou-se, do quarto ser lavado após o vômito, e outros detalhes contraditórios que requer uma investigação mais profunda.

Após a morte de seu filho D. Gloria ficou muito decepcionada com a forma que foi recebida por sua “nora”, a mulher que se dizia ser esposa dele, e que era apenas a companheira, poucos dias depois esteve na residência do casal, a companheira de André ofereceu como lembrança à sua sogra, apenas uma escova de dente usada pelo seu filho.

O Blog do Jair Ferraz sensibilizado com o fato deseja com a publicação desta matéria, chamar a atenção das autoridades civis e militares, para que se encontre uma resposta para este caso envolto de mistérios.

Dona Glória é uma mulher batalhadora, persistente, com muita fé em Deus, uma pessoa simples, humilde, e “antes de tudo uma fortaleza”, que como qualquer mãe tem um coração que não se engana.