CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Entenda critérios de pontuação do Enem


Alunos de todo o país têm encontro marcado com o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As provas acontecem nos dias 8 e 9 de novembro e serão feitas por mais de 8,7 milhões de estudantes. Mas você já entendeu tudo sobre o Enem? Como funciona o sistema de avaliação do exame, que não é nada convencional? Por que o famoso “chutômetro” não vale muito? E por que mesmo acertando o mesmo número de questões dois alunos podem ter notas diferentes? Essas dúvidas são tema da matéria de hoje da série Revisando para o Enem, do Diario.

O diretor-geral do Colégio Motivo, Eduardo Belo, esclarece as principais indagações sobre o sistema de avaliação. De acordo com Eduardo, é preciso entender em primeiro lugar a metodologia de avaliação. “Ele contextualiza as questões, mas o aluno precisa estar preparado para resolvê-las e isso só vai acontecer se ele tiver estudado”, esclarece.

A forma como é calculada a nota busca dar o mérito a esse aluno que se esforçou. “Os pedagogos sempre criticaram esse sistema de múltipla escolha porque no chute um aluno que não estudou podia tirar melhor nota do que aquele que se esforçou mais. O TRI inibe esse tipo de coisa”, explica Eduardo.

A Teoria de Resposta ao Item (TRI) não contabiliza apenas o número total de acertos no teste, mas leva em conta a dificuldade de cada questão. “Numa mesma habilidade você tem uma questão considerada fácil que vale dois pontos e outra bem mais difícil, que vale 20. O aluno que acertou a fácil e a difícil vai ter os 22 pontos, mas aquele que errou a fácil e acertou só a difícil não vai ter os 20. O sistema pode entender que foi o chute.”

Partindo desse princípio, dois ou três alunos podem corrigir os gabaritos e ver que acertaram o mesmo número de questões, mas só saberão a nota quando receberem o resultado do Inep. “Numa prova de matemática, por exemplo, das 45 questões se você acerta 36, teoricamente você tiraria 800 pontos, mas na prática não é assim”, diz o diretor. Já a prova de redação tem uma avaliação diferenciada. São designadas cinco competências valendo de 0 a 200 cada. Neste caso o aluno pode tirar de 0 a 1.000.

Como funciona TRI

A Teoria de Resposta ao Item (TRI) é um sistema capaz de analisar as questões que o estudante respondeu corretamente e dar um peso específico para cada acerto. Veja como funciona:

1. As perguntas são divididas previamente em grupos: fáceis, médias e difíceis. Elas estão misturadas ao longo da prova e não estão sinalizadas, o estudante não sabe qual questão pertence a qual grupo.

2. Através de estatísticas e teorias matemáticas, a TRI analisa as respostas do aluno. Se ele errou muitas perguntas fáceis e acertou difíceis, o sistema considera o fato estatisticamente improvável e deduz que ele chutou.

3. Assim, a média do aluno que chutou cai. No final, a nota não depende apenas do valor absoluto de acertos. Depende também da dificuldade das questões que se acertou ou errou.

Como é atribuída a nota da redação

No Enem, cada uma das redações são avaliadas por dois corretores. Os avaliadores têm a função de atribuir uma nota de 0 a 200 pontos em cada uma das cinco competências listadas

1) Domínio da norma padrão da língua portuguesa;

2) Compreensão da proposta de redação;

3) Seleção e organização das informações;

4) Demonstração de conhecimento da língua necessária para argumentação do texto

5) Elaboração de uma proposta de solução para os problemas abordados, respeitando os valores e considerando as diversidades socioculturais


Fonte: Diário de Pernambuco