CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Pernambuco: Esquema de segurança para as eleições conta com 15.112 policiais


Do total do efetivo na operação, 13.642 são policiais militares e 1.470, civis.
Dois helicópteros vão dar apoio às ações da Secretaria de Defesa Social.


A Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco divulgou nesta quinta (2) os detalhes do esquema de segurança para as eleições de 2014. Ao todo, 15.112 policiais civis e militares vão compor o efetivo a ser empregado no próximo domingo (5). As informações foram repassadas em coletiva no prédio onde funciona o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), na área central do Recife.
O plantão no domingo irá começar às 6h e deve terminar uma hora após o encerramento da apuração dos votos. A ação integrada vai incluir representantes da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), Grande Recife Consórcio de Transporte, Guarda Municipal do Recife, Metrorec, Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Tribunal Regional Eleitoral e Polícias Federal e Rodoviária Federal. A novidade para as eleições deste ano é exatamente a estreia dessa operação de forma integrada, que foi utilizada durante a Copa do Mundo.
"É a primeira vez que nós temos o funcionamento do Centro Integrado para uma eleição. Isso já ocorreu em outras operações. A integração, ela é fundamental para um trabalho bem feito. Essa estrutura nos dá condições físicas de realizar esse trabalho", explicou o secretário estadual de Defesa Social, Alessandro Carvalho. Do total do efetivo, 13.642 são PMs e 1.470, policiais civis. O investimento total na Operação Eleições 2014 será de R$ 1,5 milhão, verba destinada ao pagamento de diárias.
Entre as funções desempenhadas pelos profissionais que vão atuar no domingo, estão a segurança das urnas eletrônicas antes e depois do pleito, policiamento nos mais de 3.000 locais de votação e apoio aos juízes eleitorais. Serão quase 7.000 PMs e 401 policiais civis atuando no Grande Recife; o interior irá receber 6.948 militares e 1.069 civis. Pela manhã, 340 policiais militares já seguiram para o Sertão. Eles embarcaram da quadra de hóquei do Sport.
Dois helicópteros, um policial e um aeromédico ainda vão dar apoio às ações na Região Metropolitana, podendo haver deslocamento para o interior caso haja necessidade. O plantão da Corregedoria vai funcionar 24 horas durante todo o período das eleições, na sede do órgão, no bairro da Boa Vista.

Lei Seca
O secretário Alessandro Carvalho também explicou o porquê da decisão de liberar a venda e consumo de bebidas alcoólicas no dia do pleito. Segundo ele, a medida foi tomada para que o trabalho da SDS seja focado somente em questões relativas às próprias eleições. "Qual é o foco no dia da eleição? É você ter as sessões sem nenhum tipo de problema, é evitar boca de urna e outras condutas que são vedadas por lei", resumiu.
Caso algum eleitor acabe se excedendo no uso de bebidas alcoólicas e provoque algum tipo de transtorno ao andamento do pleito, a ausência da Lei Seca não proíbe que o mesmo seja detido.

Polícia Federal
Nesta quinta-feira (2), a Polícia Federal de Pernambuco também divulgou como será o esquema de segurança que será montado para garantir a segurança das eleições do domingo. O objetivo é combater e prevenir crimes eleitorais. Este ano, 60% do efetivo da Superintendência no Recife (Região Metropolitana), e das delegacias de Salgueiro (Sertão) e Caruaru (Agreste) serão mobilizados.
A PF terá bases no Recife, em Igarassu, Carpina, Vitória, Palmares, Ipojuca, Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe, Arcoverde, São José do Egito, Águas Belas, Garanhuns, Salgueiro, Ouricuri, Cabrobó, Serra Talhada e Floresta. Entre os crimes eleitorais previstos estão o uso de alto-falantes e amplificadores de som, a promoção de comício ou carreata; a propaganda de boca-de-urna; e a distribuição de material de propaganda política ou a prática de aliciamento, coação ou manifestação para influir na vontade do eleitor.
“Podem acontecer situações que fogem ao nosso planejamento, mas a princípio, devido ao forte esquema de segurança montado, acreditamos que vai ser suficiente para coibir a prática de crimes eleitoras", acredita o chefe de comunicação da PF-PE, Giovanni Santoro.

Fonte: G1 - Eleições 2014