CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Opiniões e comentários do Blog do Jair Ferraz sobre a atual política de Petrolândia.

Por Jair Ferraz

Política, esportes e religião são assuntos que não se discute, mas pode ser opinados e comentados, principalmente quando vivemos em um regime democrático.

Concluída a apuração de votos da Eleição 2014, o resultado mostra um novo cenário na política de Petrolândia. A oposição, como que do nada, surge de repente, e como uma criança, dá os seus primeiros passos.

Este é sem sombra de dúvida, um fato inédito na história política de Petrolândia, uma vez que por tradição, nunca existiu oposição, desde os tempos idos, a exemplo do já falecido “Zé de Caboclo”, que foi prefeito em várias gestões, e em uma eleição apresentou como o seu sucessor, o inesquecível José Gomes de Avelar, o “Zé Gominho”, que no pleito não teve com quem disputar a eleição, por ser candidato único. Naquela época, existiam apenas duas legendas partidárias, a ARENA e o MDB, e cada legenda podia apresentar mais de um candidato. Lembro-me perfeitamente, que na chapa de votação existia dois quadrados para você marcar caligraficamente, “Zé Gominho” ou branco.

Depois de “Zé de Caboclo” e posteriormente “Zé Gominho”, a história política de Petrolândia continua seguindo a mesma tradição, quando não existe oposição. A prova foi o pleito vitorioso do candidato Zé Dantas, apresentado também por Zé de Caboclo.

Contra os petrolandenses a Chesf ganhou a luta no primeiro round, e para tal apresentou à nossa cidade um dos seus funcionários, na época um médico, cujas raízes, tinha origem em uma pequenina cidade do sertão do Pajeú, interior do estado de Pernambuco, e que entrou como um foguete pelas portas laterais da Prefeitura Municipal da velha e inesquecível cidade de Petrolândia, abertas pelo ex-prefeito Zé Dantas.

Lateralmente à prefeitura, existia um gabinete onde semanalmente centenas de pessoas eram encaminhadas à cidade de Paulo Afonso na Bahia, e retornavam com uma CNH em mãos.

Voltemos ao tema principal e inicial destes comentários e opiniões do Blog do Jair Ferraz, sobre o atual panorama político na cidade de Petrolândia, após as Eleições 2014, onde através do voto foram escolhidos o Presidente, Governador, Senador, Deputados Federais e Deputados Estaduais.

Em Petrolândia, o resultado final da Eleição 2014, mostra o enfraquecimento político de um grupo que à décadas se mantém intocável e irredutível no poder executivo. Os frutos desta semente plantada hoje pela oposição em Petrolândia poderão serem colhidos nas próximas Eleições de 2016, quando serão escolhidos, o Prefeito ou Prefeita, o vice-prefeito, e os vereadores do Município.

Na nova história, atualmente escrita a próprio punho pela oposição, entra a Matemática, ciência que não admite erros.

Vejamos os números:

10.909 é a quantidade de votos obtidos pela candidata à presidente Dilma Rousseff em Petrolândia, o que representa 62,76% dos votos, e estes não vieram da situação, que apoiava abertamente a candidata Marina Silva.


5.588 é a quantidade de votos obtidos pela candidata à preseidente Marina Silva em Petrolândia, o que representa apenas 32,15% dos votos para presidente. Marina foi vice de Eduardo Campos, que lançou Paulo Câmara, e que tem o apoio da atual situação Municipal.

8.088 é a quantidade de votos obtidos pelo candidato à governador Paulo Câmara em Petrolândia, o que representa apenas 51,04% dos votos, e este resultado mostra que a situação está beirando o precipício, próximo ao desmoronamento, e isto pode evidentemente acontecer já nas Eleições 2016.

7.652 é a quantidade de votos obtidos pelo candidato ao senado Fernando Bezerra Coelho em Petrolândia, o que representa apenas 50,09% dos votos. Este resultado é mais uma prova de que a "situação" não está bem.

Os principais números da matemática política, que mostra como está realmente a situação e a oposição em Petrolândia, são os seguintes:

4.033 é a quantidade de votos do candidato a Deputado Federal Zeca Cavalcanti em Petrolândia, o que representa 23,95% de votos dados à oposição.

3.613 é a quantidade de votos do candidato a Deputado Federal Fernando Filho em Petrolândia, o que representa 21,46% de votos dados à situação.

2.587 é a quantidade de votos do candidato à Deputado Federal Inaldo Satilino em Petrolândia, o que representa 15,36% de votos dados a oposição.

9.203 é a quantidade de votos dados pela oposição à Deputado Federal em Petrolândia, o que representa 54,64% dos votos (Zeca Cavalcanti 4.033 votos, Inaldo Satilino 2.587 votos, Tadeu Alencar 1.125 votos, Andre de Paula 460 votos, Mozart Sales 418 votos, Pedro Eugênio 344 votos e Luciana Santos 236 votos).

Pelos números apresentados, a oposição foi quem ganhou para deputado federal em Petrolândia.

Para deputado estadual, o panorama político mostra que a oposição também ganhou em Petrolândia, e o resultado foi o seguinte:

7.076 é a quantidade de votos do candidato a Deputado Estadual Dr. João em Petrolândia, o que representa 40,03%, quase a metade dos votos para Deputado Estadual (Oposição).

3.955 é a quantidade de votos do candidato a Deputado Estadual Rodrigo Novaes em Petrolândia, o que representa 22,37% dos votos (Oposição).
 
2.690 é a quantidade de votos dados pela situação à Deputado Estadual em Petrolândia, o que representa apenas 15,22% dos autênticos votos da situação no Município (Alberto Feitosa 2.547 votos e Lucas Ramos 143 votos). A situação conta hoje com 1 prefeito, 2 vice-prefeitos, e 5 vereadores.

12.017 é a quantidade de votos dado pela oposição à Deputado Estadual em Petrolândia, o que representa 67,97% dos votos (Dr. João 7.076 votos, Rodrigo Novaes 3.955 votos, Everaldo Cabral 517 votos, Manoel Santos 285 votos e Romário Dias 184 votos)

Conclusão:

Nestas Eleições 2014 surgiu um novo cenário político em Petrolândia. A partir de agora começa a ser escrita uma nova história, mas que ainda não é um divisor, e sim uma semente que foi plantada, a semente da oposição, e os resultados foram mais do que evidentes.

Em nossa opinião, a oposição, mesmo dividida, sem a máquina do poder, e sem a militância "encabrestada" e comprometida que aparenta ter hoje a situação, poderá nas próximas eleições municipais 2016 derrubar um grupo político que já vem no poder a mais de vinte anos, e tem características hereditárias, ou seja, de pai para amigo, de amigo para filho, e de filho para possivelmente esposa do amigo, e assim vai permanecendo nas mesmas mãos.

Nestas eleições ficou provado que o eleitor quer mudanças no Município, e estão mais do que cansados do continuísmo.

Vale salientar que quando um governante ou mesmo o seu grupo permanece no poder por muito tempo, se torna inevitavelmente em um poder ditatorial.

Para finalizar com as nossas opiniões e comentários, peço aos caríssimos leitores do Blog do Jair Ferraz, a compreensão e o respeito quanto a nossa opinião exposta publicamente. Opinião não se discute, e é um direito garantido constitucionalmente, por quem tem a coragem de mostrar a "cara", e que não tem medo da verdade.