CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Apoio de Marina Silva a Aécio Neves pode ser anunciado na sexta-feira


O apoio de Marina Silva (PSB) ao candidato Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República pode ser anunciado na sexta-feira (10). Para isso, basta que o tucano se comprometa com bandeiras levantadas por Marina no primeiro turno como a reforma agrária, a demarcação de terra indígenas, a revisão do fator previdenciário e o fim da possibilidade de reeleição.
Partidos que apoiaram a candidatura da ex-senadora no primeiro turno se reuniram nesta quinta-feira (9), em Brasília para alinhar o discurso de apoio ao candidato tucano. Marina Silva não compareceu ao encontro, mas mandou uma carta aos seus correligionários informando que sua decisão dependeria do posicionamento dos partidos.
O porta-voz da Rede Sustentabilidade, deputado Walter Feldman, leu um trecho do comunicado a jornalistas.
— Aguardo com tranquilidade e confiança a manifestação individual ou coletiva dos partidos sobre os compromissos que precisam ser assumidos pela candidatura identificada como sentimento de mudança. De modo que ele se expresse em atitudes políticas, ações e modelo de governança que de fato materialize novos tempos para o Brasil.

Um documento será entregue na manhã de sexta ao senador mineiro com pontos considerados importantes por Marina e seus apoiadores. O encontro deve acontecer no Rio de Janeiro. Marina Silva não deverá estar presente.
A ex-ministra do Meio Ambiente quer que, caso seja eleito, o candidato do PSDB dê continuidade aos programas sociais do atual governo e priorize questões como o passe livre para estudantes, o pacto pela vida e a mais escolas de tempo integral.
O candidato à vice-presidente na chapa do PSB, deputado Beto Albuquerque, afirmou que os pontos defendidos por Marina são fundamentais para o País e que devem ser prioridade do próximo governo. Apesar disso, Albuquerque explicou que o documento não será motivo de negociação entre os partidos da coligação de Marina e Aécio.
— Nossa ideia não é reescrever o programa do Aécio. Nós vamos incorporar algumas ideias chaves do nosso programa. A candidatura do Aécio é que passou para o segundo turno, não foi a nossa. Mas há alguns temas no nosso programa de governo que são caros na nossa relação com a sociedade no primeiro turno.
Feldman adotou o mesmo tom no discurso, mas elogiou Aécio e disse estar otimista de que as recomendações serão aceitas.
— Nós esperamos que ele assuma a ideia da nova política. Mas tempos a clareza que as nossas propostas têm uma dimensão que vai ser diferente do dele. Porque ele não vai incorporar o nosso programa integralmente. Ele tem seu próprio programa.
Estiveram presentes no encontro a ex-ministra do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Eliana Calmon, e representantes do PPL, PRP, PHS e PSL. O PPL foi a única legenda que decidiu se manter neutra e não apoiará nenhum candidato no segundo turno.
Os presidenciáveis Eduardo Jorge (PV) e Pastor Everaldo (PSC) também vão apoiar o tucano na segunda etapa do pleito.
Marina silva ficou em terceiro na corrida presidencial com 21% dos votos válidos e sua posição é considerada importante para decidir as eleições 2014. Em 2010, quando teve 20 milhões de votos, Marina se manteve neutra no segundo turno disputado entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB).

Fonte: R7