CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

domingo, 12 de outubro de 2014

A fantástica arte da demagogia - Parte 1

Imagem da campanha em defesa do Rio São Francisco


Por Daniel Filho.


Dividida em partes, irei aqui postar o que pude vivenciar do pseudo movimento social chamado "Salve o Rio São Francisco" orquestrado pelo prefeito.

Começou com grande alarde do prefeito, através de seu perfil na rede social Facebook, sobre a baixa do nível do Lago Itaparica. 

Desde o dia 8 de Outubro, especificamente três dias após o primeiro turno das eleições, que posta comentários e notícias aterradoras sobre a situação. Causou comoção entre os seguidores, acionou imprensa do país inteiro (Blogs locais e da região, Diário de Pernambuco, Jornal do Commércio, Asa Branca Globo, Folha de São Paulo...). O mesmo mostrou indignação quanto a preocupação da CHESF, ONS e ANA em priorizar a produção de energia em detrimento da necessidade da água para consumo humano.

A incoerência tem início. O prefeito do município nunca teve preocupações políticas ambientais, pelo contrário, perseguiu toda e qualquer alternativa.

Nunca formou o conselho ambiental; viu o aterro sanitário esgotar sua capacidade antes do previsto por não adotar políticas de coleta seletiva e reciclagem, mesmo tendo a ARBIO a oferecer o suporte; nunca apoiou política de educação ambiental construtivista, o projeto federal SALA VERDE foi transferido para gestão de uma escola estadual por descaso do município e secretaria responsável; há registros de despejo do esgoto no lago de Itaparica... Mas, de repente, passou a defender, como líder militante, o VELHO CHICO.
 
Foi criado um grupo na rede social Whatsapp com o nome “SALVE O RIO SÃO FRANCISCO” onde os participantes discutiam a situação e as medidas para um “mal ainda mais aterrador a se aproximar”. As obras da transposição iriam retirar água da represa de Itaparica e, consequentemente, trazer um colapso e prejuízos imensuráveis à comunidade petrolandense, em especial, os agricultores.
Dentre diversas sugestões dadas acerca da preservação do rio, como: racionamento, economia, educação ambiental, formação do conselho ambiental... todas eram negadas pelo prefeito veementemente por afirmar que nada daquilo resolveria.

Foi sugerida, então, uma reunião para decidir os rumos.


Fonte: grupo "Salve o São Francisco"

No dia 10 de Outubro, a partir das 19:00hrs, no centro cultural de Petrolândia, representações sociais e sociedade civil foi reunida para debater sobre a “gravidade” do assunto com o prefeito e mediação do secretário Rogério Viana.
 
Entre causas, efeitos e possíveis consequências citadas, ficou o acordo que, na manhã seguinte, dia 11, toda a população estaria convocada para OCUPAR E RESISTIR o canteiro de obras a fim de impedir o ligar das bombas de teste.
 
Pelo grupo no whatsapp o prefeito mantinha o grupo informado sobre detalhes de negociações que, perceptivelmente, continham avanços. O primeiro foi a garantia de liberação de água da represa de Sobradinho liberando 100 m³/s adicionais para compensar os testes das duas bombas na EBV.

No entanto, questionando o grupo se deveria manter a ocupação ou não, o prefeito se posicionou a favor de manter a ação. Foi concordado por todo o grupo que se empolgou a ponto de propor GREVE DE FOME caso as bombas fossem ligadas.

 
Fonte: grupo "Salve o São Francisco"

O "movimento social" estava organizado, data, local e horário definidos. A "força-tarefa" em defesa do São Francisco estava montada.

continua...