CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

sábado, 20 de setembro de 2014

Petrolândia: “Tentativa de homicídio à bala no Bar do Cariri.”


Policiais Militares da 4ª CIPM de Petrolândia, Equipes de águias da ROCAM, formada pelo Sgt. Miranda e a Sd. Mércia, e a Equipe GT-411 formada pelo Cb. Mauríicio e Sd. Fábio Junior, foram acionados pela Central de Operações às 02 horas da madrugada de hoje, dia 20/09/14, para atender uma ocorrência de “tentativa de homicídio” no Bar do Cariri, localizado na Av. Djalma Gomes Wanderley, na Quadra 9, nesta cidade de Petrolândia, sertão do estado de Pernambuco.

Segundo o que testemunhas contaram a polícia, o jovem “Joenio Gomes da Silva”, de 29 anos de idade, residente na Quadra 8, estava sentado em uma mesa no interior do Bar do Cariri, quando de repente um homem de cor morena, não identificado, entrou no “bar” e pediu uma garrafa de água mineral. Em seguida o homem portando uma arma de fogo, efetuou três disparos contra a pessoa de “Joênio”, sendo que dois tiros atingiram o rosto do lado esquerdo, e um tiro atingiu o ombro do lado direito.

Após a prática de “tentativa de homicídio”, o homem saiu correndo tomando rumo ignorado. Os policiais das duas Equipes sairam em diligências e fizeram incursões, mas até o fechamento desta materia o suspeito não tinha sido capturado.

O efetivo policial da GT-411 socorreu à vítima “Joenio Gomes” até o Hospital Municipal local, e depois, como na maioria dos casos, ele foi encaminhado para o Hospital da Restauração na cidade de Recife

O médico de plantão no Hospital de Petrolândia disse aos policiais que a vítima da tentativa de homicídio não corre risco de morte.

Foi confeccionado um Boletim de Ocorrência, o qual foi repassado à Autoridade Policial Civil em Plantão neste final de semana na cidade de Floresta, PE, para as medidas legais necessárias.

Até o presente momento não se sabe a autoria e motivo para a tentativa de homicídio. Não especificamente neste, mas em alguns casos em Petrolândia impera a "lei do silêncio".

Por Jair Ferraz
Informações da 4ª CIPM