CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

CONTATOS PARA ANÚNCIO: thiagoferraz@outlook.com.br

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Petrolândia: Policiais Militares da 4ª CIPM recuperam produtos de furtos, e prendem receptador.




Às 13h30mim de ontem, quarta feira dia 27/08, policiais militares da 4ª CIPM de Petrolândia, a dupla de Águias da ROCAM, formada pelo Cb PM Adenilson e Sd PM Marcos Antonio, quando em rondas ostensivas pelas ruas da cidade, transitando pela Quadra 14, se depararam com uma aglomeração de pessoas, as quais solicitaram a presença dos policiais. Quando chegaram ao local da aglomeração, os policiais foram informados que em dias anteriores várias pessoas tinham sido vítimas de furtos em suas residências. E que naquele dado momento as pessoas tinham capturado e detido um dos suspeitos, principalmente dos furtos em uma casa que serve de alojamento, para operários de uma firma que está realizando serviços na construção das torres da usina eólica, na Serra de Tacaratu. E que o suspeito da autoria dos furtos, tinha sido reconhecido por uma das vítimas e testemunha, a qual deteve e segurou e depois o entregou aos policiais da ROCAM.

Ao ser indagado a cerca das acusações que lhe eram atribuídas, o cabeleireiro “Adenildo Freire de Sá”, conhecido por “Nildo”, 45 anos de idade, negou e disse ser “inocente”, inclusive convidou os policiais para irem verificar sua residência. Juntamente com as vítimas (testemunhas), e com a autorização do imputado, foi realizada uma minuciosa vistoria, e para surpresa de todos, lá estava parte do material furtado, estes reconhecidos pelas vítimas:

01 travesseiro com fronhas;
01 camisa manga curtas;
02 calções de nylon usados como pijamas;
01 camisa de mangas compridas, cor cinza, com o logotipo da empresa de construção de linhas de transmissão das torres eólicas. A camisa pertence a um dos operários da mesma empresa do logotipo que consta na camisa furtada e encontrada na casa do elemento;
01 lençol branco, liso, usado para enrolar o aparelho de TV;

Na vistoria foram encontrados dois (2) cachimbos artesanais, fabricados com canos de PVC, utilizados para o consumo de crack. Antigamente, cachimbos eram usados para a paz entre tribos em guerras. Outras vezes eram usados por rezadores para afastar os maus espíritos, e nos dias atuais, dias modernos, os cachimbos são usados para se consumir a pior droga do mundo, o crack, usado para fazer o que não presta.

Segundo informações de visinhos da residência furtada, o elemento acusado de receptação, vivia rondando a área altas horas da noite e pela madrugada, e juntamente com elementos desconhecidos, tentaram esconder nos quintais da casas objetos de procedência duvidosa, e quando flagrados deixavam o local e tomavam rumo ignorado. Alguns visinhos da residência furtada não quiseram ser identificados, com medo de represálias.

Continuado com indagações, investigações e diligências, os Águias da ROCAM, ainda conseguiram recuperar 01 (um) televisor a cores, 20 polegadas, dos quatros (04) televisores que foram furtados.
Também foram furtados 8 colchões de espuma, e outros pequenos objetos não descritos.
Reunidos materiais furtados recuperados, vítimas, testemunhas e o elemento acusado, foram conduzidos à Delegacia de Policia Civil de Petrolândia, onde a autoridade policial civil, Delegado titular Dr. Roberto Campos, tomará as providências legais cabíveis. Uma vez que não se conseguiu efetuar o flagrante por furto, o mesmo será autuado por receptação, visto que parte do material furtado foi encontrado em seu poder na sua residência. Segundo Dr. Roberto Campos, será estipulada uma fiança.
Foi realizado no mesmo o exame médico traumatológico, e posteriormente recolhido a Cadeia Pública ficando a disposição da Justiça.
 
Antes de encerrar os trabalhos policiais deste caso, os Águias da ROCAM encontraram e apreenderam um chaveiro contendo 14 (quatorze) chaves, de fechaduras de portas e cadeados diferentes, e uma das vítimas alegou que o imputado, utilizando-se das chaves, tentou abrir várias vezes as portas de sua residência, porém sem sucesso.

Por Jair Ferraz